Serviços

Nossos Serviços

Calandragem

Calandragem é um processo de conformação de materiais através de cilindros aquecidos de uma calandra. Muito embora o objetivo final seja diferente, como de metais e polímeros plastificados (fundido/amolecido e homogeneizados), o fator comum é o uso da calandra; dois ou mais rolos contra-rotantes (em geral, mas há casos dos rolos girarem no mesmo sentido, casos com velocidades diferentes, inclinações, dependendo do material e finalidade desejada). O número de cilindros pode variar conforme o material, o acabamento superficial desejado, a tecnologia aplicada, entre outros fatores, e a distancia entre os cilindros determina a espessura do material.
A calandragem pode proporcionar gravação em relevo na peça através da texturização do rolo, além de gerar um efeito “marmoritado” usando um pouco de pigmento na matéria-prima, o que é bem interessante na produção de chapas para serem usadas em pisos ou outras superfícies. No caso de filmes plásticos, após os cilindros da calandra, é possível que exista ainda um cilindro de aço que terá sua superfície “copiada” pelo plástico quando em pressão e temperatura adequada em contato com cilindro de borracha, resultando em filmes com os mais diversos tipos de acabamento. Esses cilindros são chamados de cilindros de gravação ou cilindros de acabamento. Após “copiar” a superfície do cilindro de acabamento/gravação, caso necessário, o filme será resfriado em outros cilindros (com resfriamento interno por água), sendo em seguida embobinado.
As características dos materiais obtidos pelo processo de calandragem são:
• possibilidade de obter-se materiais planos com ou sem brilho;
• Em caso de filmes, ou laminados reforçados, podem ser obtidos os mais diversos tipos de acabamento/gravação;
• transparentes, translúcidos, opacos, ou coloridos;
• baixa permeabilidade ao vapor d’água;
• possibilidade de obtenção de produtos atóxicos(dependendo da formulação);
• espessura relativamente constante;
• obtenção de materiais rígidos ou flexíveis


Jato de Água

O corte com jato de água (em inglês jet-cutting) é uma das variedades da hidrodemolição, que consiste no corte de materiais com água a extrema pressão, combinando esta pressão com a incorporação de algum material abrasivo, tais como o carborundum (carbeto de silício), o coríndon ou a sílica.[1]Esta técnica consiste na projeção sobre a superfície do material ser cortado de um jato de água a uma pressão entre 2.500 e 3.000 bares, com um fluxo de água entre 20 e 40 l.p.m., incorporando por efeito Venturi um abrasivo ao jato de água.


Plasma

Corte a plasma é uma técnica de corte de chapas metálicas ou outros materiais, onde o corte ocorre através de um processo similar ao Soldagem por arco elétrico com gás de proteção.

Desde sua invenção na metade da década de 50, o processo de corte por plasma incorporou várias tecnologias e se mantém como um dos principais métodos de corte de metais. Porém, até poucos anos atrás, o processo detinha uma reputação duvidosa na indústria de corte de metais devido ao elevado consumo dos itens componentes do sistema, o ângulo de corte e a inconsistência do processo. Os recentes desenvolvimentos agrupando tecnologias em sistemas de cortes manuais e mecanizados, proporcionaram uma maior eficiência deste processo.
Os plasmas manuais mais modernos são equipados com sistema de jato coaxial de ar, que constringe ainda mais o plasma, permitindo um corte mais rápido e com menos ângulo. O projeto de escuto frontal permite ao operador apoiar a tocha na peça mesmo em correntes elevadas na ordem de 100A. Nos sistemas mecanizados, utilizados principalmente em manipuladores XYZ comandados por controle numérico, foram incorporam tecnologias que aumentam a consistência do processo e prolongam a vida útil dos componentes consumíveis através de um controle mais eficiente dos gases e do sistema de refrigeração respectivamente.
O processo de corte plasma, tanto manual como mecanizado ganhou espaço considerável na indústria do corte de metais. Mesmo descontado o crescimento desta indústria, a participação do corte plasma teve substancial ampliação devido a sua aplicação em substituição ao processo oxi-corte, em chapas grossas, e ao laser em chapas finas ou de metais não ferrosos.


Corte Guilhotina


Dobra


Laser


Oxicorte


Perfuração